segunda-feira, 22 de junho de 2009

Acordei meio filósofo hoje. Olhava para o mundo como se ele quisesse me dizer algo; mas no fundo, acho que era eu quem queria escutá-lo. A sensação que essas manhãs me trazem é indescritível; é como voltar à infância e desenvolver aquele olhar curioso, no tempo em que a rotina ainda não existia. O "bom dia" sai com gosto e tudo parece funcionar. A verdade é que o mundo continua o mesmo, mas nós descobrimos a química de sorrir, para tudo. Acho que isso se chama magia de viver....

Divagando, quase me esqueci do que queria dizer. Acordei meio filósofo, não foi o que eu disse? Pois é, sinto que o mundo não está aí gratuitamente. Estamos tão mergulhados em nossos deveres que posicionamos tudo ao redor de nossos umbigos. Isso é muito triste, mas se chama homem moderno. Eu sou um homem moderno, sem dúvida, mas essa manhã eu fui criatura por algumas horas. E como isso é bom! É perceber que nossa agenda não é a coisa mais importante neste século. Dar-se a chance de observar cada detalhe como se atrás daquele rotineiro objeto houvesse um segredo esperando para ser espiado.
Quero repetir a todos que o mundo não está aí gratuitamente. Ele está aí para ser observado e nos ensinar. Lembrar a cada um a sua condição de criatura e fazer dela uma chance de colocarmos nossas intensas tarefas diárias ao nível da humildade. Ser humilde é a melhor coisa que podemos fazer para nossos egos.

2 comentários:

ludyyy disse...

Imagina c todos acordassem que nem voce todo dia?
nao precisava nem mais de mensagem...

isabela midori disse...

poético!
como é bom ser cirança e ter aquela doce inocência de quem sorri.
bom, parece bonito quem vê por fora, mas sei la. deu até pra sentir uma certa melancolia e angústia no texto. tive que ler várias vezes pra entender! ahuehaueha aí por isso que vim comentar só agora! =)